quarta-feira, 17 de janeiro de 2018

DE-6775018

Apesar do ID alemão, este é, como facilmente se pode ver, um postal espanhol. Já estive em Madrid umas 3 ou 4 vezes mas não é das minhas cidades espanholas preferidas. 

www.ediciones07.com
DE-6775018, enviado pelo Nikolai.
* O Palácio de Cibeles, conhecido como Palácio das Comunicações até 2011, é um palácio localizado na Plaza de Cibeles. Actualmente sede da Câmara Municipal, abriu em 1919 como sede da Correos, o serviço espanhol de correios e telecomunicações;
* Palácio Real, o maior palácio real da Europa Ocidental;
* Puerta del Sol, o centro simbólico de Madrid, onde as principais ruas da cidade se encontram;
* Las Ventas, a praça de touros mais famosa do mundo é um belo edifício Neo-Mudéjar;
* A Gran Vía é uma rua comercial localizada no centro de Madrid. Hoje, a rua é conhecida como a Broadway espanhola, e é uma das ruas com maior vida nocturna na Europa. É conhecida como a rua que nunca dorme. Começa na Calle de Alcalá e termina na Plaza de España.

Ponteareas - Espanha

Foi com este postal de Ponteareas que a Vanesa me desejou um feliz 2018. No que diz respeito ao correio, até está a ser, quanto ao resto, podia estar a correr melhor. 

© Ediciones Paris 2
Apesar de ser conhecida como ponte romana, na verdade esta ponte tem origens medievais. E pronto, não consegui saber muito mais que isto. 

segunda-feira, 15 de janeiro de 2018

Toledo - Portugal

Desconhecia a existência de uma localidade chamada Toledo em Portugal mas parece que há mesmo, não sei é bem onde fica, devia ter perguntado à Leninha. 

Fotografia & design: Dadifoto - Actividades Fotográficas, Lda 
Ela foi com os seus alunos ao Centro de Interpretação da Guerra do Vimeiro e foi lá que viu este postal e achou que era perfeito para a minha colecção de velhotes. É sim senhora. 

Vencedor do Mês de Janeiro

A vencedora deste mês foi a Patrícia mas ela pensou que era eu. Quando recebi este postal também eu pensei que podia ser eu mas quando ela recebeu dois postais relativos a este jogo no mesmo dia, deixámos de ter dúvidas, foi mesmo ela a vencedora. 

Fotógrafo: Nuno Felix da Costa © 2002 Edições 19 de Abril
Apesar de ser uma fotografia bonita, não há muito para dizer sobre este postal. A foto foi tirada algures em Trás-os-Montes em 1980. 

sexta-feira, 12 de janeiro de 2018

8º Encontro de Natal

Se o Natal é quando o Homem quiser, um encontro de Natal é quando o pessoal do Postcrossing quiser e o ano passado foi em Novembro, exactamente um mês antes do Natal. Como dá para perceber por estes postais, o local escolhido foi Viana do Castelo. 
Neste encontro estiveram alguns dos suspeitos do costume, algumas caras novas e duas presenças internacionais. Quanto aos postais, foram enviados pelo Zé e pela Vanesa, pela Sofia, pela Inês e pelo Tiago. A Ninocas enviou um igual a este do Forte da Lagarteira, já enviado enviado o ano passado pela Inês. Obrigada a todos pela lembrança. 

desenho da autoria de Tiago Parreira
Este encontro teve direito a um postal personalizado. O Tiago inspirou-se nos lenços do namorados e o resultado foi este pelo postal. 
O lenço dos namorados é um lenço fabricado a partir de um pano de linho fino ou de lenço de algodão, bordado com motivos variados. É uma peça de artesanato e vestuário típico do Minho, sendo usado por mulheres com idade de casar.
Era hábito a rapariga apaixonada bordar o seu lenço e entregá-lo ao seu amado quando este se fosse ausentar. Nos lenços poderiam ter bordados versos, para além de vários desenhos, alguns padronizados, tendo simbologias próprias.
Era usado como ritual de conquista. Depois de confeccionado, o lenço acabaria por chegar à posse do homem amado, que o passaria a usar em público como modo de mostrar que tinha dado início a uma relação. Se o namorado (também chamado de conversado) não usasse o lenço publicamente era sinal que tinha decidido não dar início a ligação amorosa. - in: wikipédia

www.modernistica.pt
A Sofia optou por esta versão ilustrada dos trajes minhotos. 

 www.modernistica.pt
Falando em trajes, o da noiva é um dos emblemáticos e bonitos trajes do Minho. Será que quando a Inês se casar vai usar um destes? ;)
O tecido preto confere a todo o traje a solenidade exigida ao próprio ritual do casamento ou às poucas ocasiões, excepcionais, em que ele era usado. Para assinalar esses momentos, a rapariga colocava ao peito todo o ouro que possuía, mostrando, assim, o seu poder económico. Ambicionado por todas as raparigas casadoiras minhotas, este traje era objecto dos maiores cuidados e desvelos, logo guardado na arca, após as raras aparições em público, para um dia ser doado à filha ou à neta, como se de uma jóia se tratasse. Por vezes, serviria este traje, ainda, uma última vez, como mortalha. 
Composto por casaca de tecido de seda preta lavrada, ajustada ao corpo, formando uma pequena aba na cintura e contando com decoração em bordados aplicados de vidrilhos, galão, e fita de cetim pregueada, tudo em preto, saia de tecido preto de lã, com barra em veludo ricamente bordada em vidrilhos, decorada na orla com aplicação de fita e tira de cetim pregueada, avental de veludo preto, decorado com bordados em vidrilhos, formando a coroa real no centro, enquadrada por motivos vegetalistas, algibeira entre o avental e a saia, em forma de coração estilizado, bordada com vidrilhos, lenço branco de tule bordado com fio de seda, meias rendadas brancas e chinelas pretas bordadas em branco. No peito, sobre o fundo negro da casaca, sobressaem os ouros tradicionais, e, nas orelhas, usa-se os brincos à rainha. A rapariga leva, ainda, em mãos, com delicado bordado a ponto de cruz com motivos de simbologia amorosa, a segurar o ramo de noiva, um lenço de amor. - in: http://folcloredeportugal.blogspot.pt/2008/09/traje-de-noiva-minho.html

Grupo MJF
Na Igreja Matriz de Viana já se devem ter casado muitas moças a usar o traje de noiva minhota.
A Sé de Viana, embora apresente uma estrutura maciça bem ao gosto da arquitectura românica, é sem dúvida uma obra influenciada pela estética gótica, tendo a sua construção sido iniciada nos alvores do século XV. O portal apresenta um arco ogivado recortado por três arquivoltas profusamente decoradas, que são suportadas por seis esculturas que representam outros tantos apóstolos (S. Pedro, S. Paulo, S. João, S. Bartolomeu S. Tiago e Santo André). Este portal, tanto a nível estrutural como temático, denota certas afinidades com os portais galegos, nomeadamente com o da igreja de S. Martin de Noya. - in: http://www.cm-viana-castelo.pt/pt/percursos-culturais

segunda-feira, 8 de janeiro de 2018

Poço da Ribeira do Ferreiro - Ilha das Flores

O Poço da Ribeira do Ferreiro é sem dúvida, dizem, o local mais bonito da ilha das Flores. Paraíso, inesquecível. imperdível, deslumbrante, lindo, fenomenal... são alguns dos adjectivos usados por quem já aqui esteve. Eu ainda não estive mas espero estar um dia. 

O Poço da Ribeira do Ferreiro também conhecido por Alagoinha, localiza-se na freguesia da Fajã Grande. É um dos locais mais bonitos da Ilha das Flores, e por isso a visita é obrigatória. 
Neste pequeno paraíso onde a vegetação o vai envolver, existe um pequena lagoa que encosta a uma falésia alimentada por cerca de 20 cascatas.

© Fotografia: www.aerografica.pt
Apesar do 1º postal ter sido comprado por mim, não foi nas Flores que o comprei, foi em São Miguel. O 2º, tal como os do post anterior, foi enviado pela Lurdes. 

Ilha das Flores

Quando se pensa nas ilhas dos Açores, as primeiras que vêm à cabeça são certamente as de São Miguel, Terceira, Pico e Faial. Serão, talvez as mais visitadas e onde toda a gente quer ir. Já estive na Terceira, em São Miguel, no Faial e quero ir às outras todas. Se falarem com a Lurdes vai dizer para ir às Flores, segundo ela, a mais bela de todas a ilhas. A julgar por estes postais que me enviou há dias, paisagens deslumbrantes é coisa que não falta por lá.

© Fotografia: www.aerografica.pt
O que dizer desta imagem??! Estas lagoas, Branca, Negra, Comprida e Seca, são 4 das 7 lagoas inseridas na Caldeira das Flores.

© Fotografia: www.aerografica.pt
A Ribeira das Casas localiza-se no concelho de Santa Cruz das Flores. Tem origem a uma cota de altitude de cerca de 800 metros, nos contrafortes no Pico da Burrinha. Desagua no Oceano Atlântico junto à Ponta do Baixio, do cimo de uma falésia com cerca de 500 metros de altura.

© Fotografia: www.aerografica.pt
 O ilhéu de Monchique é um grande rochedo oceânico, com 30 metros de altura, situado em frente à costa oeste da ilha das Flores. É o ponto mais a Oeste de Portugal e, se o grupo ocidental dos Açores for considerado parte da Europa (ainda que esteja na Placa Norte-Americana) é também o ponto mais a Oeste do continente europeu. Na altura em que a navegação era feita com base nos corpos celestes este ilhéu de Monchique serviu como ponto de referência para acertar as rotas e verificar os instrumentos de navegação. - in: wikipédia

© Fotografia: www.aerografica.pt
A baía da Alagoa, localizada perto de um assentamento desabitado, é uma extensão natural da Ribeira da Alagoa, a ravina e vale que divide a costa.
A baía da Alagoa conjuntamente com os seus ilhéus e a Baixa do Moinho constituem uma reserva natural sendo um sitio de interesse comunitário, que inclui uma área de 100 metros em torno dos ilhéus da Alagoa, para a protecção da flora e fauna marinhas, e especialmente para a população de garajaus rosados e comuns. - in: https://www.geocaching.com/geocache/GC32C28_baia-da-alagoa-flores-acores

© Fotografia: www.aerografica.pt
Fajã Grande, ocupando uma área de aproximadamente 12,55 quilómetros quadrados, é uma das freguesias mais povoadas do concelho de Lajes das Flores. 
A sensivelmente 2 kms a norte da Fajã Grande fica situada uma pequena povoação que dá pelo nome de Ponta da Fajã. Esta povoação existe desde o século dezasseis.